Topologia do saber: verdade do dizer, virtude no fazer. Ter parece Ser, mas, não-é. Opinião Crítica. Textos votados à reflexão filosófica e à busca da emancipação do Sujeito que É, já que Sou. Problema nenhum há em estar-além, o grave problema é mesmo ficar-aquém! Discordar com respeito é civilizado, mas refutar com elegância é superior!

terça-feira, 9 de maio de 2017

Quando o sujeito desloca proliferamente a distinção típica de gênero para tudo que são relações extrínsecas manifesta um sintoma de que a definição de sua própria orientação sexual não está muito bem consolidada em seu fundamento característico de tal modo que se exprime como insegurança quanto a suficiência de sua capacidade de autodeterminar sua própria predileção sexual de gênero e por conseguinte malogra atribuir personificação capaz de sexualizar até a operação utilitária de uma porta ou de um elevador predial desconsiderando a impessoalidade que constitui condições comuns entre gêneros ou alheias a essa relação e mesmo obsessivamente pode indicar uma sintomática de latência homossexual de demanda reprimida que propulsione o temor  de extinguir se a fatua referência quanto seu papel relativo a (sua tênue) diferença sexual  que lhe jaz esmaecida

Nenhum comentário:

Postar um comentário